FeedIndex

Nova temporada!
4ª MOSTRA DE TEATRO INFANTIL DE PORTO ALEGRE

Parafuso de Algodão
Dia 10 e 11 de outubro de 2012
quarta e quinta às 20h
Teatro de Câmara Túlio Piva
Rua da República, 575 - Cidade Baixa, Porto Alegre



Carolina Cony Tarja Preta

Caroline Martins e Renata Nascimento Laranja de Umbigo

Pablo Pico Estramblótico

Juliana Coutinho Tecido em Raios

Leticia Paranhos Dança dos Aviões

Gustavo Tomé Margarina, o Bailarina

fotos acima de: Eneida Serrano

Luis Cocolichio O Construtor de Cenas e Dramas

Caroline Martins A Palavra

Marli Mendonça A Vó, o Homem-banda e os Cachorrinhos

Gaston Santi Kremer Silvio, O Pipoqueiro
cenário de Juliano Rossi
PARAFUSO DE ALGODÃO
Poema de Cláudio Levitan para o personagem PALAVRA

Sonho. Vida. Amor. Morte.
Palavras soltas.
Bolinhas de plástico estourando
Pipocas explodindo na panela
Bolhas gigantes de sabão
Voando sobre nossas cabeças
Como baloons dos quadrinhos
Que aprisionam as Palavras em janelas.
Fechadas? Abertas? Quebradas pelo tempo.
Travesseiros para bolas – nossas cabeças
Bolas de pensamento
Vazias. Cheias de ar.
Ar que não nos sustenta num céu tecido
Em panos suspensos pelo vento
Varal de secar corpos pendurados
Pelo sonho, pela dor, pela poesia.
Quem sou? ...sou PALAVRA, simplesmente,
Pala-mares, Malabares, mala-dos-bares vazios
...e se o mundo fosse uma laranja, redondo e azul,
Como uma fruta doce em seu sumo,
Ácida em sua mordida, como um beijo roubado
Uma liberdade aprisionada na boca
E se soltasse laranja, não só cor,
Mas suco-sangue grosso-gosto amargo
Ah! O tempo nos carrega como compras descartáveis
Com prazos de validade já vencidos
Em carrinhos metálicos de super-mercado.
A Velhice é a infância sem mais tempo
E o tempo não tem sexo
É uma bailarina barbada que nos diverte e assusta
É um pesadelo, atropela em sua virilidade atlética
Como um bando de maratonistas pisoteando nossas cabeças
O corpo exige cuidados, mimos, exercícios...
O corpo corre de nós
Nos suspende pelos perigos
Coração apaixonado que se vicia na palavra AMOR
Eu, Palavra- AMOR, vício desmedido!
Provoca o corpo a jogar-se no infinito,
No abismo de um salto mortal do trapézio do circo
Nada a proteger-nos da Vida
Quantas voltas meu corpo voando,
No prazer da paixão, agüenta?
Antes que despenque como faca e seu fio
Rasgando minha dor em pele, pano, sangue e drogas?
Palavra! Não temo morrer, meu medo é não ter vivido!
Não ter sido Palavra-com-sentido.
Ah! Vício maldito!
Cigarro, anfetamina, álcool, tudo vicia
E faz mal pra saúde...como a vida!
Somos claves jogadas pelas mãos
Do Amor, da Guerra, da Morte e do Caminho,
Quatro mergulhadores malabaristas
Que não se importam com nossas quedas,
Nem com nossos vôos.
Palavras mascaradas em sincronias.
Palavras-portas que não separam mundos de sonhos,
Real do imaginário
Palavras-portas que misturam
Razão, imaginação e loucura
Na orquestra das rodas afinadas:
Tempo é o circular da reta,
A bicicleta do desequilibrado avançando para não cair...

Pi-po-cas pi-po-cam pa-la-vras

Não sou Palavra-verbo como no começo,
Nem sou o ponto final.
Sou Palavra- Parafuso-de-algodão
Circulando nas nuvens.
Podem me chamar PALAVRA, simplesmente,
Coisa avulsa, solta no picadeiro do circo.

...como uma pi-po-ca.


















O espetáculo Parafuso de Algodão apresenta um conjunto de alucinações cotidianas. São pequenas composições formadas por diferentes elementos e objetos encaixados de forma surreal. Imagens surpreendentes e intrigantes são incorporadas de forma criativa às esquetes mais tradicionais de acrobacia aérea, dança, música e malabarismo, como em um sonho acordado, do real ao absurdo.

Elenco
Carina Levitan, Carol Cony, Carol Martins, Cauan Feversane, Gabriella Tachini, Gaston Santi Kremer, Guilherme Sanches, Guilherme Schubert, Gustavo Thomé, Juliana Coutinho, Letícia Paranhos, Luís Cocolichio, Martina Manfrin, Marli Mendonça da Conceição, Mauro Pogorelsky, Natália Utz, Pablo Pico, Renata Nascimento e Teté Furtado.

Direção e Roteiro
Carina Levitan
Natália Utz
Renata Nascimento

Orientação Cênica
Cláudio Levitan

Orientação Coreográfica
Letícia Paranhos

Iluminação
Carol Zimmer

Figurino
Parafuso de Algodão

Cenário
Juliano Rossi

Trilha Sonora
Carina Levitan
Mauro Pogorelsky
Guilherme Sanches

Imagens
Natália Utz
Renata Nascimento

Produção de Palco
Karine Rico

Cabelos
Julia Pedroso

Operadora de Luz
Carol Zimmer

Operadora de Som
Gabriella Tachini

Operadores de Imagens
Felipe Rizzo Prux
Martina Manfrin

Peças Gráficas
Andréa Martau
Gabriella Tachini
Fred Messias