Manifesto
Um roteiro de Arte Urbana em Lisboa
An Urban Art itinerary in Lisbon


12 Meses | 4 Estações | 16 Artistas
12 Months | 4 Seasons | 16 Artists


Junho 2010 | Junho 2011
June 2010 | June 2011


‘CRONO’ nasce de um compromisso com a Arte Urbana assente na premissa de que somos todos tão efémeros como todas as nossas criações - uma forma de pensar o tempo e de pôr em evidência uma nova dimensão da cidade: a cidade como organismo vivo que se constrói e cria de uma forma espontânea, natural e livre. É nesta dinâmica de apropriação de espaços de Lisboa que, em quatro momentos que correspondem às quatro estações do ano, serão desenvolvidos trabalhos de pintura de impacto urbano e registos de diferentes ambientes da capital através do tempo.

Com o objectivo de estabelecer um roteiro de Arte Urbana em Lisboa em quatro momentos do ano, uma selecção de artistas internacionalmente consagrados são convidados a desenvolver intervenções conjuntas com artistas nacionais e comunidades locais num processo de “curadoria urbana”, a qual conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa para a disponibilização de espaços da cidade para o efeito.


'Crono' emerges from a commitment with Urban Art based on the premise that we are all as ephemeral as all our creations - a way of reflecting upon time and enhancing a new dimension of the city: the city as a living organism which is built and created in a spontaneous, natural and free way. It is within this dynamics of appropriation of Lisbon’s spaces that, over four stages which correspond to the four seasons of the year, several commissioned paintings with an urban impact and the registering of different environments of the capital throughout time will be carried out.

With the aim of establishing an itinerary of Urban Art in Lisbon over four periods of the year, a selection of internationally renowned artists will be invited to develop interventions alongside Portuguese artists and local communities in a process of ‘urban curatorship’, which has the support of the Lisbon City Council in providing locations in the city for this purpose.


Conceito / Concept

Nós gostamos de pensar que antigamente, há centenas de anos atrás, o Espaço e o Tempo desfrutavam de forma equivalente a relevância e o poder. O Espaço era misterioso e desregulado como o Tempo.

Actualmente parece que chegámos a um ponto em que conseguimos tratar o Espaço como algo facilmente adjectivável e com o qual conseguimos lidar. Conseguimos movermo-nos rapidamente, conseguimos aceder a locais remotos. No nosso planeta fomos capazes de reduzir o Espaço a uma entidade inofensiva.

Pelo contrário, o que não conseguimos dominar ou controlar é o Tempo. Conseguimos estabelecer o sítio onde vamos viver, e até dizer que somos de um sítio específico, mas nunca saberemos quanto tempo vamos durar. Na realidade somos de facto temporários. O Tempo é o que nos recorda todos os dias o que realmente somos: nómadas. Não importa o tempo que o nosso trânsito levará; estamos por cá por um tempo limitado, somos tão efémeros quanto todas as nossas criações. Para viver uma boa vida temos precisamente de fazer o melhor uso possível do nosso tempo. A arte consegue claramente ajudar-nos neste objectivo.



We like to think that in former times, hundreds of years ago, Space and Time enjoyed relevance and power in a similar way. Space was as mysterious and unregulated as Time.

Presently it seems as if we have reached a point in which we can deal with Space as something we can easily render adjectival and which we are able to deal with. We can move quickly, we can access remote locations. On our planet we have managed to reduce Space to a harmless entity.
On the contrary, it is Time which we seem unable to dominate or control. We can establish the place where we will be living, and even claim to be from a given place, but we will never manage to know how long we will last. In reality we are in fact “temporary”. It is Time that reminds us everyday what we really are: nomads. The time our transit will last is irrelevant; we are here for a limited period of time, we are as ephemeral as all our creations. In order to live a good life, we must make the best possible use of our time. Art can clearly help us out with this aim.